Postagens

O novo governo, a fusão de ministérios e a extinção de espécies

*Maurício Novaes Souza
Na última semana do segundo turno, o então candidato Jair Bolsonaro, diante do risco de queda nas pesquisas de intenção de votos, sinalizou que não iria fundir os ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente. O objetivo era passar a imagem de um candidato do diálogo, que não desejava impor suas ideias, em um momento em que era taxado pelo PT como um político de viés autoritário. Ou seja, ele queria se contrapor aos ataques petistas e afastar a imagem de candidato sem abertura a negociações. Na quarta-feira, dia 24 de outubro, ele concedeu entrevista e comentou as críticas de ambientalistas à proposta de fundir as duas pasta, afirmando: "Está havendo um ruído nessa área e eu sou uma pessoa que estou aberto para o diálogo, pode ser que a gente não encampe essa proposta realmente". Em seguida, aliados de Bolsonaro deram como certa a decisão de que os ministérios da Agricultura e Meio Ambiente continuariam existindo de forma independente. Agora, o futuro m…

Uma breve história da humanidade: origem, evolução, revoluções e agroecologia

Instituto Federal do Espírito Santo - IFES campus AlegreMestrado Profissional em Agroecologia Disciplina: Agroecologia  Aluna:KíssilaFrançaLima  Professor:MaurícioNovaes Souza

Uma breve história da humanidade: origem, evolução, revoluções e agroecologia
O livro Sapiens - Uma breve história da humanidade, de Yuval Noah Harari, conta a história da espécie Homo sapiens,demonstrandosuaevoluçãoerevoluçãoaolongodotempo.Ohomem, aolongodosanosdesuavidanaterra,vemsofrendodiversasmudanças:sejam adaptativas em relação ao ambiente; seja cognitiva, na sua capacidade de pensareformularideias,criandomitosepropagando-os,deformaqueomesmo formasse sentimentos e com isso, lidando com os perigos e circunstâncias ao longodoseucotidiano,sobressaindo-seemrelaçãoaosoutrosanimais. No livro Sapiens, o autor menciona que o homo sapiens passou por três revoluções ao longo de sua existência (cognitiva, agrícola e científica/industrial),tornando-se capazdeadaptar-seeinovar-se,saindodeumestádioinicialdeanimalindefeso e c…

As eleições e sua influência na elevação das taxas do desmatamento

* Maurício Novaes Souza
Levantamento do Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília aponta os anos que mais registraram recorde no desmatamento: 1995, 2003 e 2004. Em 1995, tomou posse o presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Em 2003, foi o ex-presidente Lula - devido à mudança de plataforma política e adaptação ao perfil de gestão (PSDB para PT), 2004 também teria sentido os efeitos no aumento no desmate. Até julho de 2018, foi registrado aumento de 22% do desmatamento em todo território da floresta amazônica. De acordo com o Relatório do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), o Pará é o estado com maior índice de desmatamento, tendo como agravante que 52% das áreas atingidas são de preservação ambiental. De acordo com o pesquisador do Imazon Antonio Vítor, dois fatores podem justificar: a) a recuperação do setor pecuário (a maioria das áreas desmatadas viram pastos); e b) a proximidade das eleições. Segundo o Imazon, historicamente, a ince…

Eleições de 2018, Questões Ambientais e Políticas Públicas

* Maurício Novaes Souza
Em 2018 foi registrado aumento de 22% do desmatamento em todo território da floresta amazônica, ao contrário de 2017, quando houve uma redução de 21%. De acordo com o g1.globo.com, divulgando o Relatório do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), o Pará é o estado com maior índice de desmatamento da Amazônia Legal, tendo como agravante o fato que 52% das áreas atingidas são de preservação ambiental – 2.441 km² de área desmatada entre agosto de 2017 e maio de 2.018, 852 km². Em maio de 2018, 48% do total desmatado foi no Pará, seguido pelo Mato Grosso (29%); Amazonas (15%); Rondônia (7%); e Acre (1%). De acordo com o pesquisador do Imazon Antonio Vítor, dois fatores podem ter provocado o aumento do desmatamento: a) a recuperação do setor pecuário, já que a maioria das áreas desmatadas viram pastos; e b) a proximidade das eleições. "Historicamente, a gente observa que em anos eleitorais ocorre esse aumento na região, o que pode estar muito at…