Sistemas de Administração Empresarial e a Gestão Ambiental



* Por Maurício Novaes Souza1 e Gabriela Alves de Novaes2

Os Sistemas de Administração da Produção, qualquer que seja sua filosofia, têm como objetivos básicos Planejar e Controlar todo o processo de manufatura/logística. Deve começar pelo planejamento dos materiais e pela utilização dos equipamentos e pessoas; passar pelo controle do que foi planejado; e chegar até à distribuição dos produtos acabados.

Um Sistema de Administração da Produção deve ser capaz de: planejar e controlar os materiais comprados; planejar e controlar os níveis dos estoques; programar as atividades de acordo com o cumprimento dos prazos; ser capaz de saber a situação atual, reagindo de maneira eficaz; e planejar o futuro da empresa. Portanto, nada mais são que uma ferramenta no auxílio à interminável busca pela competitividade da empresa.

Pode-se dizer, entretanto, que a utilização de um Sistema de Administração da Produção adequado é condição necessária, porém não suficiente, para que a empresa atinja o sucesso competitivo. Isso porque, nos dias atuais, as empresas de bens ou serviços que não adaptarem seus sistemas produtivos para a melhoria contínua da produtividade, demonstrando efetivamente “cuidados ambientais”, não terão espaço no processo de globalização. A antiga estratégia da produção em massa, derivada da noção de economia de escala, não é mais válida. Atualmente, as empresas devem possuir um sistema flexível de produção; com rapidez no projeto e implantação de novos produtos; baixos “lead-times” (freqüência com a qual o “mix” de produtos da organização muda); e estoques no atendimento das necessidades dos clientes.

A forma como se Planeja, Programa e Controla estes sistemas produtivos tem função primordial neste contexto. Para atingir seus objetivos, os sistemas produtivos devem exercer uma série de funções operacionais, que vai desde o projeto dos produtos até o controle dos estoques, recrutamento e treinamento de funcionários, aplicação dos recursos financeiros, distribuição dos produtos, cuidados com a disposição dos resíduos, entre outros.

Atualmente, a estrutura funcional deve ceder espaço a uma estrutura operacional aberta, aonde a responsabilidade pelas ações vai até o ponto em que o efeito desta ação se fizer sentir. Uma pergunta natural a ser feita é: Qual é o melhor Sistema de Administração da Produção? Na verdade não se pode dizer que exista o melhor, e sim que existe o mais adequado. Na hora de decidir qual sistema utilizar algumas variáveis devem ser analisadas, tais como: Variedade de produtos e processos; Complexidade das estruturas de produto; Variabilidade dos “lead times”; e Autonomia para tomada de decisões.


Além das variáveis apresentadas anteriormente, a escolha do Sistema de Administração da Produção deve estar ligada e ser coerente com os objetivos estratégicos da manufatura; deve ser coerente com o tipo de tecnologia de processo produtivo e dos recursos humanos que a empresa resolveu usar; e, o fato novo - de relevante importância - que deve fazer parte dos processos decisivos: a variável ambiental.

Com o advento do termo "Desenvolvimento Sustentável" tornou-se necessária a formação de pessoas com um diferente perfil, profissionais que agreguem a visão ambientalista à exploração "racional" dos recursos naturais – os Gestores Ambientais. Na verdade, a Gestão Ambiental visa ordenar as atividades humanas para que estas originem o menor impacto possível sobre o meio ambiente. Esta organização vai desde a escolha das melhores técnicas até o cumprimento da legislação e a alocação correta de recursos humanos e financeiros.

O que deve ficar claro é que "gerir" ou "gerenciar" significa saber manejar as ferramentas existentes da melhor forma possível: isso exige que os gestores ou gerentes ambientais devam ter uma visão holística apurada. Deve-se ter a consciência que a Gestão Ambiental requer profissionais dos mais diversos campos, e devidamente habilitados. Surge, dessa forma, um novo Sistema de Administração Empresarial - a Administração Ambiental: deve possuir uma sólida base técnica e filosófica, além de exigir que sejam eliminados os impactos ambientais negativos para que se atinja o Desenvolvimento Sustentável.

* 1. Engenheiro Agrônomo, Mestre em Recuperação de Áreas Degradadas e Gestão Ambiental e Doutorando em Engenharia de Água e Solo pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). É professor do CEFET - Rio Pomba, coordenador dos cursos Técnico em Meio Ambiente, EAD em Gestão Ambiental e Pós-graduação em Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável. É Conselheiro do COPAM e do CIEA/SEMAD Zona da Mata, MG. E-mail: mauriciosnovaes@yahoo.com.br.

2. Estudante do Curso de Administração de Empresas da Universidade Federal de Viçosa.
Publicação original em: INFORMACIRP, RIO POMBA, Agosto de 2008.

Comentários

Tuane disse…
O Sistema de Administração Empresarial requer muita capacidade e profissionalismo. Além de planejar materiais e a utilização de equipamentos e pessoas, requer também passar pelo controle do que foi planejado e chegar até à distribuição dos produtos acabados.
Enfim, tendo em mente uma boa idéia do que seja o Sistema de Administração Empresarial,podemos então aplicar alguns de seus métodos na teoria da Gestão Ambiental, criando assim uma Administração Ambiental, no qual seria uma forma de saber manejar as ferramentas existentes da melhor forma possível. Acredito que isso seja muito importante.

Postagens mais visitadas deste blog

ÁRVORES E ARBUSTOS COMPROVADAMENTE TÓXICOS PARA ANIMAIS RUMINANTES E EQUINOS