Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2008

Gestão e Avaliação de Impacto Ambiental da Cafeicultura Irrigada em Regiões Selecionados do Território Brasileiro

Por Maurício Novaes Souza, Marcelo Rossi Vicente, Everardo Chartuni Mantovani, Maria Emília Borges Alves

RESUMO: A irrigação já é uma realidade na cafeicultura brasileira, ocupando cerca de 10% da sua área plantada, permitindo situar o cafeeiro entre as principais culturas irrigadas do Brasil. Entretanto, a agricultura irrigada vem sendo considerada por alguns segmentos da sociedade e órgãos do governo, como a principal responsável pelo desperdício de água e pela contaminação dos solos e dos ecossistemas aquáticos. Portanto, para a implantação de um sistema de irrigação em uma determinada região, torna-se necessário um conjunto de informações de maneira a ser identificado o seu potencial de produção e as condições físicas e operacionais mais adequadas que podem selecionar alternativas a serem tomadas. A avaliação de impactos ambientais objetiva, essencialmente, fundamentar e otimizar processos decisórios envolvendo atividades transformadoras e apresentar prognósticos para minimizar pos…

Práticas Simplificadas de Amostragem do Solo

* Por Maurício Novaes Souza – Engenheiro Agrônomo
Aula prática de ENF 391 – Recuperação de Áreas Degradadas (UFV)

1. Introdução – a amostragem de solo é a primeira e principal etapa de um programa de avaliação da fertilidade do solo. O seu objetivo é determinar a riqueza em nutrientes e o grau de acidez. Divide-se em três etapas: coleta das amostras; análise das amostras em laboratório; e interpretação dos resultados.
2. Amostragem tradicional – seleção da área
1) Delimitação da gleba a ser amostrada: glebas com no máximo 10 hectares; homogêneas; e pequenas áreas desuniformes devem ser amostradas separadamente. Deve ser considerada: a vegetação; a posição topográfica; as características perceptíveis do solo; e o histórico da área.
Percorrer a gleba andando em “zig-zag”, colhendo amostras a cada 50 ou 60 metros. Em cada ponto deve-se colher uma amostra simples que deverão ser reunidas em um recipiente limpo. Os instrumentos utilizados para a retirada da amostra, podem ser: trado; enxada ou …

Amostragem do solo

* Por Maurício Novaes Souza
1. Introdução

A amostragem de solo é a primeira e principal etapa de um programa de avaliação da fertilidade do solo. O seu objetivo é determinar a sua riqueza em nutrientes e o seu grau de acidez, entre outros. Basicamente, pode ser dividida em três etapas: a) coleta das amostras; b) análise das amostras em laboratório; e c) interpretação dos resultados. É importante lembrar que no laboratório, não se consegue minimizar ou corrigir os erros praticados durante os procedimentos de amostragem. Portanto, caso ocorram, produzirão uma análise inexata, interpretação e recomendação equivocadas, podendo causar prejuízos econômicos ao produtor e provocar impactos ambientais (CANTARUTTI et al., 1999).
Para a devida correção do solo, poderão ser usadas várias combinações de calcário, gesso, fertilizantes inorgânicos e materiais orgânicos. A aplicação da correção depende de cinco fatores: 1) das propriedades físicas e químicas do solo; 2) do regime climático local; 3) da…

POLUIÇÃO URBANA 2: casos, acasos, descasos...

* Por Maurício Novaes Souza

O dia 14 de agosto foi escolhido como o "Dia de Combate à Poluição". Dá-se o nome de poluição a qualquer degradação (deterioração, estrago) das condições ambientais, do habitat. É uma perda, mesmo que relativa, da qualidade de vida em decorrência de mudanças ambientais. Sem dúvida, atualmente, há motivos suficientes para se ter uma data para esse fim. O aumento populacional, a crescente atividade industrial, a falta de saneamento, as queimadas e o aumento do número de veículos automotores nas regiões urbanas têm contribuído para o aumento da poluição. Conseqüentemente, a degradação da natureza, especialmente nas últimas décadas, tem sido enorme e começa a causar dificuldades no cotidiano do próprio homem.
No Brasil a situação não é diferente do restante do mundo e temos grande participação na degradação de nossos recursos naturais: os ecossistemas aquáticos estão contaminados por agroquímicos e esgotos; a população consome alimentos cada vez mais co…

POLUIÇÃO URBANA: casos, acasos, descasos...

* Por Maurício Novaes Souza

Casos - o dia 14 de agosto foi escolhido como o "Dia de Combate à Poluição". Dá-se o nome de poluição a qualquer degradação (deterioração, estrago) das condições ambientais, do habitat. É uma perda, mesmo que relativa, da qualidade de vida em decorrência de mudanças ambientais. Sem dúvida, atualmente, há motivos suficientes para se ter uma data para esse fim. O aumento populacional, a crescente atividade industrial, a falta de saneamento, as queimadas e o aumento do número de veículos automotores nas regiões urbanas têm contribuído para o aumento da poluição. Conseqüentemente, a degradação da natureza, especialmente nas últimas décadas, tem sido enorme e começa a causar dificuldades no cotidiano do próprio homem.
No Brasil a situação não é diferente do restante do mundo e temos grande participação na degradação de nossos recursos naturais: os ecossistemas aquáticos estão contaminados por agroquímicos e esgotos; a população consome alimentos cada vez…

POLUIÇÃO URBANA: contribuição da educação ambiental

* Por Maurício Novaes Souza

Dia 14 de agosto foi escolhido o "Dia de Combate à Poluição". Sem dúvida, atualmente, há motivos suficientes para se ter uma data para esse fim. O aumento populacional, a crescente atividade industrial, a falta de saneamento, as queimadas e o aumento do número de veículos automotores nas regiões urbanas têm contribuído para o aumento da poluição. Conseqüentemente, a degradação da natureza, especialmente nas últimas décadas, tem sido enorme e começa a causar dificuldades no cotidiano do próprio homem.
O Brasil tem grande participação na degradação de seus recursos naturais e de seu meio ambiente: os ecossistemas aquáticos estão contaminados por agroquímicos; a população rural e urbana consome alimentos cada vez mais contaminados; o ar das grandes cidades é poluído e se desperdiça energia pelo uso de tecnologias inapropriadas; as florestas vêm sendo devastadas sem controle em nome de um projeto de desenvolvimento questionável, que afeta diretamente a …

Poluição Urbana

* Por Maurício Novaes Souza

Dia 14 de agosto foi escolhido o "Dia de Combate à Poluição". Sem dúvida, atualmente, há motivos suficientes para se ter uma data para esse fim. O aumento populacional, a crescente atividade industrial, a falta de saneamento, as queimadas e o aumento do número de veículos automotores nas regiões urbanas têm contribuído para o aumento da poluição. Conseqüentemente, a degradação da natureza, especialmente nas últimas décadas, tem sido enorme e começa a causar dificuldades no cotidiano do próprio homem.
O Brasil tem grande participação na degradação de seus recursos naturais e de seu meio ambiente: os ecossistemas aquáticos estão contaminados por agroquímicos; a população rural e urbana consome alimentos cada vez mais contaminados; o ar das grandes cidades é poluído e se desperdiça energia pelo uso de tecnologias inapropriadas; as florestas vêm sendo devastadas sem controle em nome de um projeto de desenvolvimento questionável, que afeta diretamente a …

Dinâmica de Sistemas: Propostas de Políticas Públicas e de Planejamento Ambiental

* Por Maurício Novaes Souza

É sabido que a humanidade vem enfrentando problemas de degradação ambiental que remontam no tempo. Entretanto, tem-se verificado a partir da década de 1960, em função dos modos de produção, de crescimento e de desenvolvimento praticados, que os recursos naturais, particularmente, a água, vêm se tornando um fator cada vez mais crítico para o desenvolvimento econômico, social e ambiental no longo prazo.
Esse fato pode ser explicado pelo fato de que até há décadas recentemente passadas, o meio ambiente era capaz de desempenhar sua função autodepuradora com eficiência. Contudo, nos dias atuais, encontra-se excessivamente sobrecarregado pelas atividades antrópicas. Percebe-se, assim, que o mundo poderá experimentar uma escassez de recursos hídricos sem precedentes em um futuro próximo, a menos que os padrões de desenvolvimento comecem a ser alterados.
No Brasil, as causas das altas taxas de desmatamento, fator que influenciará dir…

A crise energética e as políticas públicas

* Por Maurício Novaes Souza

Paralelamente ao agravamento dos problemas ambientais, o mundo vive nova crise energética. O petróleo, o carvão e o xisto atingiram a maior cotação de toda a história da humanidade. Considerando a exploração intensiva das reservas não-renováveis de combustíveis fósseis - recursos esgotáveis que levaram milhões de anos para se formar - e os prejuízos ambientais trazidos pelo uso desses recursos energéticos, pressupõem-se um cenário preocupante para esse século. Quando a opção parecia ser a bioenergia, surgem os riscos provenientes de a crise alimentar que se anuncia, a qual poderá ser agravada pela introdução de culturas voltadas à produção de biocombustíveis em áreas anteriormente destinadas à produção de alimentos básicos.
Nesse contexto, assume crucial importância a busca de fontes de energia alternativas, em especial renováveis e não-poluentes, como a solar e a eólica. Segundo Wolfgang Palz, em seu livro “Energia Solar e Fontes Alternativas”, a energia sol…