Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2008

Poluição urbana: a questão do “lixo” e sua disposição

* Maurício Novaes Souza 1; Nair Maria Bernardino 2; Mirianne Grôppo 2; e Elir Andrade Júnior 2.
Publicado em: INFORMACIRP Junho de 2007
A geração de resíduos é inseparável das atividades humanas. Nos primórdios da nossa civilização, se baseava principalmente em material orgânico, como restos de comida, que facilmente eram degradados e absorvidos pela natureza. Com o processo de industrialização, os resíduos se modificaram em quantidade e composição, tornando-se um dos grandes problemas sócio-ambientais da atualidade. A estes foram incorporadas substâncias perigosas e tóxicas, que podem causar danos irreparáveis à saúde humana e ao meio ambiente. Por esses motivos, deve haver preocupação com a produção, o manuseio e a disposição dos resíduos.
Mas de quem é essa responsabilidade? Atualmente, por lei, cabe ao município a destinação correta do “lixo” gerado no município. Contudo, o problema dos custos é central. Está para ser reeditado um Projeto Nacional de Política …

O que é Gestão Ambiental?

por Maurício Novaes Souza* Publicado em: INFORMACIRP Julho de 2007
A novíssima área de conhecimento e trabalho intitulada "Gestão Ambiental" vem causando muita confusão - não só entre os especialistas em meio ambiente, mas também entre empresários e industriais dos diversos setores produtivos. A dúvida se inicia com a pergunta: mas afinal o que é Gestão Ambiental?
Para responder esta simples, porém difícil pergunta, antes de tudo deve ser esclarecido que a Gestão Ambiental possui caráter multidisciplinar, onde profissionais dos mais diversos campos podem atuar na área, desde que devidamente habilitados.
Antigamente existia uma divisão nítida entre os defensores da natureza (ditos ecologistas) e os que pregavam a exploração irrestrita dos recursos naturais. Com o advento do termo "desenvolvimento sustentável" tornou-se necessária a formação de pessoas com um diferente perfil, profissionais que agregassem a visão ambientalista à explor…

Mudanças climáticas e seus efeitos sobre a água

Por Maurício Novaes Souza*
Publicado em: INFORMACIRP Agosto de 2007
No início desse mês de outubro, novos dados sobre o agravamento do aquecimento global foram publicados. Em todo o mundo, acentuou-se a perplexidade diante de tal realidade. Diante desse quadro de mudanças climáticas, o que pode acontecer ao Brasil, e mesmo ao nosso município de Rio Pomba, no que diz respeito à água?
Na tentativa de ampliar o grau de reflexão sobre tal questionamento, deve-se dizer não apenas o que poderá acontecer, mas o que já está acontecendo. As conseqüências das mudanças climáticas são inúmeras e já estão sendo sentidas por todos.
Os jornais nos mostram enchentes, tempestades, chuvas fortes em algumas regiões. Já em outras secas, falta de água potável e perda das lavouras por falta de chuva. Juntem-se a esses fatos catastróficos, o processo de urbanização e a ausência de saneamento básico que transformou os nossos rios, como em nosso município, em verdadeiros esgotos formados por detritos acumulados n…

Mudanças climáticas: o que são e quais os seus impactos?

Por Maurício Novaes Souza* Publicado em: INFORMACIRP Setembro de 2007
O clima, ao contrário do que muitos pensam, não permaneceu o mesmo ao longo da história da Terra. No passado, ocorreram grandes variações climáticas causadas por mudanças naturais, como alterações na composição da atmosfera, alterações na topografia dos continentes e na quantidade de radiação recebida do Sol.
Em meados do século XIX surgiram as primeiras preocupações quanto à possibilidade das ações humanas provocarem mudanças climáticas. Em 1896 o químico sueco Svante Arrhenius descreveu o efeito estufa e propôs a teoria de que mudanças na quantidade de CO2 (dióxido de carbono) na atmosfera poderiam afetar a temperatura na superfície da Terra.
Em 1957 dois medidores de CO2 foram instalados: um na Antártida, outro no Havaí. O resultado dessas medições comprovou definitivamente que a quantidade de CO2 na atmosfera estava aumentando e os pesquisadores previram que o aquecimento global era induzido pelo aumento d…

O Mercado, o Perfil Profissional e os Desafios Atuais para sua Formação

* Por Maurício Novaes Souza
Publicado em: INFORMACIRP - Dezembro de 2007
Atualmente muito se fala em Desenvolvimento Sustentável. Contudo, para alcançá-lo, é necessário que sejam criadas tecnologias apropriadas e pessoal competente para gerenciá-las: as atividades comerciais e industriais mundiais e brasileiras estão conscientes da necessidade de adotarem práticas de gestão ambiental e pretendem ampliar seus investimentos destinados à proteção do meio ambiente.
Isto de deve principalmente às profundas transformações do modelo econômico decorrentes da reestruturação produtiva, da integração mundial dos mercados financeiros, da internacionalização das economias, da desregulamentação e abertura dos mercados, com a quebra de barreiras protecionistas, em suas causas e conseqüências político-sociais. Tais mudanças vêm atingindo, de forma acelerada e diferenciada, sobretudo na última década do século passado e nos primeiros sete anos desse século XXI, amplos setores da população trabalhadora e …

Visita técnica do CEFET-RP à EMBRAPA Sete Lagoas

* Por Maurício Novaes Souza Publicado em: www.cefetrp.edu.br em 03-05-2008

No dia 7 de abril a turma de Agroecologia e funcionários do CEFET-RP, sob a coordenação da Professora Maria Dalva Trivellato e acompanhados pelo Professor Maurício Novaes, visitaram a EMBRAPA Sorgo e Milho, localizada em Sete Lagoas, MG. A visita técnica teve por objetivos conhecer dois projetos de repercussão nacional: o projeto “barraginhas” e a horta comunitária.
1) Projeto “Barraginhas”: Um projeto social para colheita de enxurradas
Os danos causados pela erosão em solos cultivados são reflexos de manejo inadequado de solos. No início da exploração de uma área virgem, quando as terras estão cobertas com matas ou pastagens naturais, a necessidade de conservação do solo é praticamente nula, pois o sistema está em equilíbrio e a erosão é mínima. Após o desmatamento para exploração da terra, verifica-se geralmente grande degradação causada pela erosão, principalmente na forma invisível, a erosão laminar, que remov…

Visita Técnica ao COMBIO e ao Parque Estadual do Rola Moça

* Por Maurício Novaes Souza
Publicado em: www.cefetrp.edu.br e O Imparcial de 11-05-2008
Nos dias 22 a 26 de abril aconteceu em Belo Horizonte o II COMBIO – Congresso Mineiro de Biodiversidade. O CEFET-RIO POMBA se fez presente de forma marcante com um estande onde se puderam apresentar seus cursos e produtos, além de sua filosofia de vanguarda em educação focada nos princípios que regem o Desenvolvimento Sustentável. A iniciativa de participação nesse evento, não com mero espectador, mas mostrando o perfil de uma Instituição atuante, partiu da Professora Alessandra Furtado Fernandes, coordenadora e responsável pelo estande e de outras atividades.
Funcionários, alunos e professores, como a Professora Carla Ribas, participaram de mini-cursos e palestras. Nos dias 24 e 25 de abril, 50 (cinqüenta) alunos dos cursos de Meio Ambiente, Agroecologia, Agropecuária, Floresta e Alimentos, acompanhados pelo Professor Maurício Novaes, visitaram o COMBIO e posteriormente o Parque Estadual do Rola Mo…

Saneamento Ambiental e Saúde Pública: iniciativas do CEFET/RP

Por Maurício Novaes Souza*
Publicação original: 15/04/2008 – www.cefetrp.edu.br
O crescimento urbano e industrial nem sempre significa desenvolvimento humano. Particularmente, nos países em industrialização, vem acompanhado de desigualdade de acesso aos itens básicos necessários a uma sobrevivência digna, tais como o acesso à educação, à alimentação e à saúde. Isso ocorre, especialmente, pela ausência do planejamento territorial das áreas a serem ocupadas.
Nos países em desenvolvimento, como o Brasil, a taxa de crescimento anual da população urbana chega aos 3,5%, vindo acompanhada de realidades preocupantes. Uma delas é a formação de cinturões de pobreza, dada à carência de serviços de infra-estrutura e de moradia adequada a um nível mínimo de condições de vida.
Entre os impactos ambientais da urbanização se destacam três que afetam diretamente os ecossistemas aquáticos: a) as derivações de água e a devolução via o esgotamento sanitário sem tratamento do efluente final; b) as…

CEFET - RP assume vaga no Conselho do COPAM - Zona da Mata

Por Maurício Novaes Souza*
Publicado originalmente em: 25/02/2008 – www.cefetrp.edu.br
O Conselho de Política Ambiental - COPAM, criado em 1977 como Comissão de Política Ambiental, tem sido o órgão responsável pela formulação e execução da política ambiental em Minas Gerais. No histórico dos serviços prestados pelo órgão, cabe destacar seu importante papel na formulação e condução da política ambiental, por intermédio de um processo aberto à participação de representantes da sociedade civil.
Entre suas competências, destacam-se: a formulação de normas técnicas e padrões de qualidade ambiental; a autorização para implantação e operação de atividades potencialmente poluidoras; a aprovação de relatórios sobre impactos ambientais; a aprovação das normas e diretrizes para o Sistema Estadual de Licenciamento Ambiental; e exercer o poder de polícia, diretamente ou por delegação de competência, nos casos de infração da legislação de proteção, conservação e melhoria do meio ambiente e de inobserv…

A crise da água e seus reflexos sociais, econômicos e ambientais

Por Maurício Novaes Souza*


Publicação original: 05/05/2008 – http://www.cefetrp.edu.br/


Os ecossistemas aquáticos e a história da água sobre o planeta Terra são multifacetados. Estão diretamente relacionados ao crescimento da população humana e ao grau de urbanização. Em face à complexidade dos usos múltiplos da água pelo homem, que aumentou e produziu enorme conjunto de degradação, são estes que mais sofrem com a poluição ambiental. Por essas questões, têm-se verificado a perda de qualidade e disponibilidade de água, inclusive, inúmeros problemas de escassez em muitas regiões e países.
Tal fato pode ser explicado quando se analisa a distribuição de água em nosso planeta: verifica-se que 97,50% da disponibilidade mundial da água estão nos oceanos, ou seja, água imprópria para o consumo humano. Do restante, 2,493% encontra-se em regiões polares ou subterrâneas (aqüíferos), de difícil aproveitamento. Somente 0,007% da água disponível são próprias para o consumo humano, encontrando-se nos …

A crise da água e seus reflexos sociais, econômicos e ambientais

Por Maurício Novaes Souza*

Publicação original: 05/05/2008 – http://www.cefetrp.edu.br/

Os ecossistemas aquáticos e a história da água sobre o planeta Terra são multifacetados. Estão diretamente relacionados ao crescimento da população humana e ao grau de urbanização. Em face à complexidade dos usos múltiplos da água pelo homem, que aumentou e produziu enorme conjunto de degradação, são estes que mais sofrem com a poluição ambiental. Por essas questões, têm-se verificado a perda de qualidade e disponibilidade de água, inclusive, inúmeros problemas de escassez em muitas regiões e países.
Tal fato pode ser explicado quando se analisa a distribuição de água em nosso planeta: verifica-se que 97,50% da disponibilidade mundial da água estão nos oceanos, ou seja, água imprópria para o consumo humano. Do restante, 2,493% encontra-se em regiões polares ou subterrâneas (aqüíferos), de difícil aproveitamento. Somente 0,007% da água disponível são próprias para o consumo humano, encontrando-se nos …

Êxodo rural e Urbanização: deficiência ou ausência de políticas públicas?

Êxodo rural e Urbanização: deficiência ou ausência de políticas públicas?

* Por Maurício Novaes Souza 1 e Aline Toledo da Costa 2

Publicação original: 25/04/2008 – www.cefetrp.edu.br

O Êxodo Rural é um dos maiores responsáveis pelo crescimento desordenado dos grandes centros urbanos. Milhões de pessoas migraram para as cidades nas últimas décadas, sem que os governos locais estivessem dispostos a investir no atendimento das necessidades mínimas de saneamento e moradia para estas populações. Como são bairros carentes em infra-estrutura básica, como hospitais e escolas, a população destes locais acaba sofrendo com o atendimento destes serviços. Escolas com excesso de alunos por sala de aula e hospitais superlotados são as conseqüências deste fato, além do aumento das taxas de criminalidade e violência.
Dessa forma, verifica-se que o êxodo rural provoca sérios problemas sociais, estruturais e econômicos para os lugares onde os “retirantes” se deslocam e, na maioria das vezes, estes se depara…