Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2009

A questão do “lixo” urbano e sua disposição

* Maurício Novaes Souza1; Nair Maria Bernardino2; Mirianne Grôppo2; e Elir Andrade Júnior2.

A geração de resíduos é inseparável das atividades humanas. Nos primórdios da nossa civilização, se baseava principalmente em material orgânico, como restos de comida, que facilmente eram degradados e absorvidos pela natureza. Com o processo de industrialização, os resíduos se modificaram em quantidade e composição, tornando-se um dos grandes problemas sócio-ambientais da atualidade. A estes foram incorporadas substâncias perigosas e tóxicas, que podem causar danos irreparáveis à saúde humana e ao meio ambiente. Por esses motivos, deve haver preocupação com a produção, o manuseio e a disposição dos resíduos.
Mas de quem é essa responsabilidade? Atualmente, por lei, cabe ao município a destinação correta do “lixo” gerado no município. Contudo, o problema dos custos é central. Está para ser reeditado um Projeto Nacional de Política de Resíduos Sólidos, popularmente conhecido…

AGROECOLOGIA E ADUBAÇÃO ORGÂNICA: ALTERNATIVA ECONÔMICA E ECOLÓGICA

* Por Maurício Novaes Souza1 e Silvane de Almeida Campos2

No Brasil, e em todo o mundo, desde meados do ano anterior, a preocupação está voltada para a crise financeira americana, que trouxe reflexos na economia de todos os países do Planeta. Contudo, a questão ambiental, que deveria ser a prioridade dado o atual estado de degradação e por ser a fonte de todos os recursos utilizados nos processos produtivos, vem sendo relegada ao segundo plano. Na prática, o antigo discurso da necessidade de crescimento econômico para a geração de emprego e renda acaba prevalecendo. Ou seja, continua vigorando a visão imediatista, de curtíssimo prazo, cujos resultados finais são conhecidos e previsíveis. De fato, a economia global está perdendo mais dinheiro com a destruição dos recursos naturais do que com a atual crise financeira global, segundo conclusões de um estudo financiado pela União Européia.
Segundo dados dessa pesquisa, intitulada “A Economia dos Ecossistemas e Biodiversidade”, calcula-se qu…

ADUBAÇÃO ORGÂNICA: UMA ALTERNATIVA ECONÔMICA E AGROECOLÓGICA

* Por Maurício Novaes Souza1 e Silvane de Almeida Campos2

A idéia de objetivar o desenvolvimento sustentável revela, inicialmente, a crescente insatisfação com a situação criada e imposta pelos modelos vigentes de desenvolvimento e de produção das atividades humanas. Resulta de emergentes pressões sociais pelo estabelecimento de uma maior eqüidade social. Na elaboração da Agenda 21 Brasileira, foi considerada fundamental que se promova à substituição progressiva dos sistemas simplificados, como aqueles praticados pela agricultura convencional, por sistemas diversificados que integrem os sistemas produtivos aos ecossistemas naturais.
Contudo, percebe-se que as propriedades rurais, a indústria, o comércio e as diversas comunidades, não estão aproveitando efetivamente os seus recursos, que incluem seu potencial de transformação dos produtos agropecuários, da matéria-prima florestal e agroflorestal, e da administração de seus resíduos gerados durante os processos pro…

A economia global e os custos ambientais

* Por Maurício Novaes Souza

Desde o segundo semestre do ano anterior, em todo o mundo, a preocupação está voltada para a crise financeira americana. Verificam-se reflexos em todos os países do Planeta. Contudo, a questão ambiental, que deveria ser a prioridade posto ser a fonte de todos os recursos utilizados nos processos produtivos, vem sendo deixada sempre em segundo plano. Na prática, o velho discurso da necessidade de crescimento econômico para a geração de emprego e renda acaba prevalecendo. Ou seja, continua vigorando a visão imediatista, de curtíssimo prazo. De fato, a economia global está perdendo mais dinheiro com o desaparecimento das florestas do que com a atual crise financeira global, segundo conclusões de um estudo financiado pela União Européia.
Segundo dados dessa pesquisa, intitulada “A Economia dos Ecossistemas e Biodiversidade”, calcula-se que os desperdícios anuais com o desmatamento variam de US$ 2 trilhões a US$ 5 trilhões. O número inclui o valor de vários serviç…

Escassez e qualidade da água: reflexões sobre saúde e políticas públicas

* Por Maurício Novaes Souza

No dia 22 de março foi comemorado o dia mundial da água. Como se pergunta a todo ano, existe motivo para comemoração? Também, no mês de março, aconteceu em Istambul, na Turquia, o V Fórum Mundial da Água, com a pretensão de apresentar respostas para escassez do recurso provocada pelo crescimento da população, o desperdício, o consumo extravagante e o aumento da necessidade de energia. Tal encontro acontece a cada três anos e nesta ocasião reuniu um número de participantes jamais vistos - 28.000 pessoas de mais de 180 países.
O Fórum analisou os problemas da escassez de água, o risco de conflito por enfrentamentos entre países por rios e lagos e a melhor maneira de proporcionar água limpa a milhões de pessoas. Segundo o presidente do Conselho Mundial da Água, o francês Loïc Fauchon, o comportamento humano com relação ao uso deste recurso é cada vez mais irrefletido e inconsequente, e aumentar indefinidamente a oferta de água, além de…

A economia, o ambiente e os limites do crescimento

* Por Maurício Novaes Souza

Em todo o mundo, desde o segundo semestre do ano anterior, a preocupação está voltada para a crise financeira americana, que trouxe reflexos na economia de todos os países do Planeta. Contudo, a questão ambiental, que deveria ser a prioridade posto ser a fonte de todos os recursos utilizados nos processos produtivos, vem sendo relegada ao segundo plano. Na prática, o antigo discurso da necessidade de crescimento econômico para a geração de emprego e renda acaba prevalecendo. Ou seja, continua vigorando a visão imediatista, de curtíssimo prazo, cujos resultados finais são conhecidos e previsíveis. De fato, a economia global está perdendo mais dinheiro com a destruição dos recursos naturais do que com a atual crise financeira global, segundo conclusões de um estudo financiado pela União Européia.
Segundo dados dessa pesquisa, intitulada “A Economia dos Ecossistemas e Biodiversidade”, calcula-se que os desperdícios anuais, apenas com o desmatamento, variam de US…