Postagens

Mostrando postagens de 2015

Produção de hortaliças em sistema de plantio direto

* Silvane de Almeida Campos

A produção de hortaliças caracteriza-se pelo uso intensivo do solo, água e insumos. Diante dessa ação impactante sobre os recursos naturais, se faz necessário, buscar novos sistemas de produção e adotar práticas conservacionistas do solo e da água (Dalastra, 2010). Neste enfoque, o sistema de plantio direto (SPD) representa um processo com possibilidade mais sustentável para o cultivo de diversas olerícolas (Rissato et al., 2012). O SPD fundamenta-se no mínimo revolvimento do solo, na sua cobertura permanente e na rotação de culturas (Fernandes, 2010) e apresenta como vantagens a redução no uso de máquinas, melhoria da estrutura do solo, aumento da infiltração e retenção de água no solo, redução das perdas de água por evaporação e escoamento superficial, aumento da eficiência do uso de água pelas culturas, melhoria do desenvolvimento do sistema radicular das plantas e controle de plantas invasoras (Breda Júnior e Factor, 2009). O SPD de hortaliças é um siste…

Pecuária Produtiva e Sustentável

* por Diana Carla Fernandes Oliveira e Gabriela Peluso Demartini

A pecuária brasileira é a mais competitiva do mundo, e pode ser ainda mais. Principalmente se houver recuperação de pastagens degradadas, uso racional dos recursos, manejo adequado e maior concentração de cabeças por hectare.  Essa competitividade esta justamente por ser extensiva, com enorme quantidade de pastagem, alimentar o gado com capim e com isto ter um menor custo de produção que outros países que têm com base o confinamento.             Atualmente, diante de um cenário mundial que reúne de um lado, uma crescente necessidade de ampliação na produção de alimentos, e de outro, o avanço de problemas ambientais, exigindo a adoção de práticas sustentáveis como o desenvolvimento de energias renováveis e a preservação de florestas, a pecuária brasileira precisa mudar sua forma de atuação. Basta aperfeiçoar nosso modelo, contando com o aperfeiçoamento genético, técnico e de gestão, assim, nosso gado tornará mais competiti…

“A importância de se valorar os recursos naturais”

*André Bacic Olic e Maurício Novaes Souza
INTRODUÇÃO:             A existência humana pressupõe uma interação com o meio físico. O desenvolvimento dos processos industriais de produção, o crescimento exponencial da população e a mudança nos hábitos de consumo tornaram o ambiente mais vulnerável aos efeitos nefastos das atividades antrópicas. A qualidade de vida na terra exige dos homens uma relação respeitosa com seu suporte material de entorno, o que passa pela valoração dos recursos naturais.
DISCUSSÃO: O século XX foi marcado por um intenso processo de industrialização dos processos produtivos. Este fenômeno ocorreu concomitantemente ao deslocamento em massa das pessoas, que do campo passaram a viver em grandes aglomerados urbanos.             O sistema da atual tecnosfera é criticamente dependente da base de recursos naturais. Nas civilizações mais primitivas, também se encontra este tipo de dependência. No passado civilizações sucumbiram por conta do manejo inadequado das fonte…

Por que falta água na Cantareira?

Imagem
ECONOMIA & NEGÓCIOS - 04 Fevereiro 2015 | 11:58
É necessário recuperar a vegetação nas áreas de nascentes e cursos d’água ao invés de apenas fazer obras de engenharia, defendem os especialistas Eduardo Assad e Roberto Rodrigues.

Foto aérea da represa Atibainha, parte do sistema Cantareira (Reuters).
Eduardo Assad e Roberto Rodrigues*
Em meio a tantas notícias ruins, como queda da Bolsa, falta de água, falta de luz, eis que das montanhas de Minas Gerias surgem notícias razoavelmente boas. A água voltou a brotar nas nascentes no alto da serra da Mantiqueira, nos municípios que alimentam o rio Jaguari, principal fornecedor de água para a Cantareira. O problema é que ainda não tem volume nem força para percorrer 100 quilômetros e encher os reservatórios do Sistema Cantareira em Bragança Paulista e Joanópolis, em São Paulo. Mas é a natureza nos indicando que se preservarmos ela reage. Nos últimos 500 anos desmatamos as nascentes e as áreas ao longo dos rios que nos abastecem de água. No pass…