Produção de mudas de couve-flor em substrato de composto orgânico (CO) enriquecido com pó de rocha (PR)



Sandy Queiroz Espinoso1, Richardson Sales Rocha1, Ismael Lourenço de Jesus Freitas2, Maurício Novaes Souza1, Wallace Luiz de Lima1
1 IFES - Instituto Federal do Espírito Santo – Campus de Alegre / Curso Superior de Tecnologia em Cafeicultura - Rod Br 482, Km 47, s/n - Rive, Alegre - ES, 29520-000 – E-mail: sandyespinoso@gmail.com
CEUNES – Centro Universitário Norte do Espírito Santo – São Mateus / Pós-doutorado em Produção Vegetal – BR – 101, São Mateus, ES.
Resumo
A agricultura orgânica oferece alimentos saudáveis, preocupa-se com a conservação do ambiente e contribui para a sustentabilidade ambiental. O experimento foi conduzido no setor de Agroecologia do IFES Campus Alegre, ES, tendo os seguintes tratamentos: T1-5% PR + 95% CO; T2-10% PR + 90% CO; T3-15% PR + 85% CO; T4-25% PR + 75% CO; T5-35% PR + 65% CO; T6-50% PR + 50% CO; T7-75% PR + 25% CO; T8-100% PR; T0-100% CO; Tx-100% substrato comercial. Após 28 dias da semeadura foram avaliados: diâmetro do caule (DC), número de folhas (NF), comprimento parte aérea (CPA), comprimento da raiz (CR), massa fresca aérea (MFA), massa fresca raiz (MFR), massa seca aérea (MSA) e massa seca da raiz (MSR). Para diâmetro do caule (DC) e número de folhas (NF), o T8 obteve as menores médias, e os demais tratamentos não deferiram significativamente entre si. Os tratamentos T2 e T0 responderam pelas maiores médias para a variável do comprimento da parte aérea (CPA). O T0 diferiu estatisticamente com os demais tratamentos nas variáveis: massa fresca aérea (MFA), massa fresca raiz (MFR), massa seca aérea (MSA) e massa seca da raiz (MSR). O substrato que apresentou melhores resultados na produção de mudas foi o T0, seguido do T1. Diante das variáveis avaliadas o substrato que apresentou o melhor resultado foi o T0, constituído de composto orgânico puro. O pó de rocha isolado não atendeu à demanda nutricional das mudas de forma favorável.
Palavras-chaves: Olericultura, substratos, sustentabilidade, produção de mudas.

Referências Bibliográficas
CAMPANHARO, Marcela; RODRIGUES, José Júlio Vilar; LIRA JUNIOR, Mário de Andrade; ESPINDULA, Marcelo Curitiba; COSTA, José Valdemir Tenório da. Características físicas de diferentes substratos para produção de mudas de tomateiro. Revista Caatinga, Mossoró, v. 19, n. 2, p. 140-145, 2006.


CARMELLO, Q. A. C. Nutrição e adubação de mudas hortícolas. In: MINAMI, K. Produção de mudas de alta qualidade em horticultura. São Paulo: TA QUEIROZ, 1995. p. 27-37.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ÁRVORES E ARBUSTOS COMPROVADAMENTE TÓXICOS PARA ANIMAIS RUMINANTES E EQUINOS