Comentários sobre o vídeo: Brasil - Um Planeta Faminto (segundo a BASF)

Prezado Pedro, tudo bem?

Parabéns pelo seu rico comentário sobre o vídeo produzido pela BASF, com o “objetivo de homenagear o agricultor”. Você levantou, entre outras questões, uma de extrema importância - a força e poder de sedução e convencimento que a mídia exerce nos dias atuais.

De fato, a “Revolução Verde” intensificou a forma de produção agrícola convencional se utilizando de um pacote tecnológico objetivando o aumento da produtividade. Visava, principalmente, acabar com a eminente ameaça da fome que se alastrava por todo o mundo. Contudo, os resultados deste processo proporcionaram desenvolvimento desigual, no qual os países mais desenvolvidos obtiveram maiores ganhos e concentração de poder e renda, aumentando assim, os níveis de dependência e pobreza nos países subdesenvolvidos. Outras consequências da intensificação do modelo convencional de produção agrícola são os impactos ambientais que o mesmo vem provocando, que vai desde o uso inadequado e inconsequente dos recursos naturais até a contaminação do ambiente e destruição de ecossistemas inteiros, como comentamos em sala de aula.

O modelo convencional de produção agrícola também impactou e continua impactando a agricultura familiar que, para acompanhar o referido processo produtivo, é preciso recorrer a empréstimos bancários, ocasionando endividamento e chegando até mesmo a perda de suas propriedades – fato bastante comum nas diversas regiões brasileiras. Outro sério problema é o uso inadequado, exacerbado e sem conhecimento dos agroquímicos, ocasionando a degradação do solo, da água e provocando uma série de externalidades (como doenças respiratórias e câncer, entre outras) e impactos ambientais negativos (perda da biodiversidade da fauna e flora, entre outros).

Como acreditamos e propomos, a Agroecologia é uma ciência que surge para propor um modelo de produção agrícola baseado nas técnicas de manejo e cultivo de forma tradicional, respeitando e valorizando os conhecimentos do homem do campo e sua relação com o meio ambiente e os recursos naturais. A Agroecologia busca consolidar suas bases científicas, quebrar paradigmas e promover um desenvolvimento que se sustente nos três aspectos que fundamentam a sociedade, que são os seus pilares: econômico, social e ambiental; ou seja, propõe que se busque o tão almejado Desenvolvimento Sustentável.

Parabéns pela sua observadora, inteligente e visionária explanação. Vamos a ela:

Comentários sobre o vídeo: Brasil - Um Planeta Faminto (segundo a BASF)


*Pedro Cretton Oliveira


O filme trata de um assunto delicado, que envolve o suprimento e a demanda de alimentos para a população. Convivemos com um constante crescimento populacional, dessa forma devemos nos preocupar de fato se a produção agrícola atual é capaz de “alimentar o mundo”. Dados comprovam que a disponibilidade de comida atual seria capaz de alimentar “três mundos”. Então, será que o problema está na quantidade, ou na distribuição e na qualidade?

É sempre polêmico discutir formas de produção, principalmente quando se refere a algo tão fundamental para a vida humana como a agricultura. Devemos admitir que o modelo dominante agrícola apresenta um potencial produtivo e financeiro impressionante, mas não podemos esquecer que este se contrapõe a um desastre social e ambiental.

Dessa forma podemos identificar que o problema está no caminho pelo qual se buscam as soluções na estrutura industrial agrícola, um dos alicerces do sistema capitalista. Se, ao avaliar o incremento da capacidade produtiva dentro desse modelo, também fossem avaliadas suas consequências (concentração de terras, êxodo rural, graves desequilíbrios ambientais, contaminação dos solos, da água, da fauna e da flora com substâncias derivadas do uso abusivo de agrotóxicos, alterações na hereditariedade genética, etc.), o vídeo comercial não teria o mesmo êxito ao agradecer este “agricultor”.

Além disso, devemos observar que, apesar dos pacotes tecnológicos da revolução verde terem conseguido sucesso em termos quantitativos, a promessa de alimentar o mundo e livrar o campo dos venenos agrícolas (com o desenvolvimento dos transgênicos) não foi cumprida. Pelo contrário, a fome persiste em muitos povos e os transgênicos se mostraram dependentes dos agrotóxicos.

Então, já que na mídia de hoje, como no filme, a voz do agronegócio não apresenta esse tipo de informação, boa parte população continua assistindo e aceitando, sem força nem organização para mudar.

Portanto, acredito que o caminho mais certeiro seja aquele em que mudamos toda essa visão de mundo, que avaliemos o quadro como um todo, que observemos as relações humanas e naturais e suas influências. Por onde caminham os movimentos por uma distribuição de terras mais justa, pela troca de conhecimento entre o campo e cidade, por um equilíbrio populacional urbano rural, pela divulgação das práticas agroecológicas, por uma agricultura para todos os seres vivos. Sinceramente, não acredito que seja a competição um fator saudável para o agricultor, não acredito que quem planta cafés da manhã, almoços e jantares com suas mãos, deva tê-las sujas de dinheiro.

* Aluno: Pedro Cretton Oliveira - 2º Período

Curso: Bacharelado em Agroecologia

Disciplina: Agrometeorologia

Professor: Maurício Novaes

23/09/2011

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUALIDADE DE SILAGEM DE PLANTA INTEIRA DE MILHO